O “Chapéu de ferro”, São Domingos

Sempre que me desloco para aquela região do Alentejo sinto-me como quem vai para um local longe de tudo,  com paisagens e características tão marcantes que dir-se-ia  estarmos em Marte. O clima, a aridez, a vegetação e a cor da terra por outro lado poderiam ser comparados a Austrália.

Porém, as  histórias deste local prendem-se sobretudo com a sua exploração mineira que trouxe à superfície preciosos jazigos de sulfuretos maciços polimetálicos  devido a actividade vulcânica que houve na região  há cerca de 350 milhões de anos quando ali  era mar.

Por outras palavras: ouro, prata e cobre foram extraídos  provavelmente desde os Tartessos, povo com bons conhecimentos de metalurgia que o terá espalhado pelo Mediterrâneo através do comércio com os  Fenícios.

Vieram depois os romanos, os árabes e, após  um interregno de umas centenas de anos, um senhor piemontês de nome Nicolau Biava terá registado a mina em seu nome.

A verdade é que este é um importante filão que se insere na chamada “faixa piritosa Ibérica” e que no seu período mais recente (1858 a 1965) foi explorada pela companhia Inglesa Mason & Barry donde foram extraídos milhões de toneladas de minério pelos meios mais sofisticados da época.

Essa minério era depois escoado para uma localidade no rio Guadiana chamada Pomarão  de onde saía por barco para Inglaterra.

A história da Mina de S.Domingos é portanto  longa e muito rica.

As marcas feitas pela mineração são autênticas feridas na terra deixadas pelo Homem que  contaminam o meio ambiente e os lençóis freáticos.

Contudo a beleza das cores, as enormes lagoas ácidas, as “cortas”,  as antigas estruturas da mina e a paisagem valem bem uma estadia no local, que terá tido das primeiras linhas férreas, a primeira barragem e a primeira lâmpada eléctrica acesa em Portugal.

São Domingos é um importante local da História industrial do nosso País, tem excelentes restaurantes com boa comida tradicional, uma maravilhosa praia fluvial na barragem da Tapada Grande, tem boas condições para a observação dos astro pela pouca poluição luminosa existente  e alberga algumas aves bastante  interessantes ao longo do ano como o Papa-figos, Oriolus oriolus, a Andorinha-das-barreiras, Riparia riparia, o Abelharuco, Merops apiaster, o Estorninho-malhado, Sturnus vulgaris, e nas imediações pode-se observar o Cortiçol-de-barriga-preta, Pterocles orientalis, ou a Abetarda, Otis tarda, entre muitos outros.

Visite as terras do “Chapéu de ferro” , venha daí e apaixone-se por Portugal…

Wild South

Where time goes at it’s own pace

The iron hat, S. Domingos 

Every time I travel to that region in the Alentejo, it almost displaces you to Mars in its scenery and characteristic features. On the other hand, the climate, the aridity, the vegetation and the colour of the soil can be compared to Australia.

However, the stories regarding this site are related to mining, which brough to the surface precious deposits of polymetallic sulphide ore, due to volcanic activity in the area 350 million years ago when the sea was there.

Tartessos (Residents of Hispania Baetica) with knowledge of metallurgy extracted gold, silver and copper from this region and spread it through the Mediterranean trading with Phoenicians.

Afterwards came the Romans, the Arabs and after a gap of a few hundred years a Piedmontese named Nicholas Biava registered the mine in his name.

In truth S. Domingos is an important vein which is part of the “Iberian Pyrite Belt”, and that in its most recent period (1858-1965) was explored by the English Mason&Barry company, who using the most sophisticated tools of the era, extracted millions of tons of ore.

The ore was then drained at a location on the Guadiana River called Pomarão where it was shipped to England.

The history of S. Domingos is very long and full of details.

Mining left wounds in the environment and pollute the watertable. However, the beautiful colors, the massive acidic lagoons, the ditches and old mine structures in the landscape are well worth a visit to this location which was the first in Portugal to have a railway, a dam and an electric bulb lit…

S. Domingos is an important region in the industrial history of our country, with excellent restaurants with good food, an amazing river beach in the Tapada Dam, it has favourable conditions for astro-observation due to minimal light pollution, also throughout the year birds can be observed such as Orioles, the Sand Martin, the Bee eater, the Starling and in the neighborhood you can observe the Black bellied Sandgrous or the Great Bustard amongst others.

Come and visit the land of the Iron Hat and fall in love with Portugal…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s